#ChamaOSamu: Conheça o novo presidente da Rotaract Brasil

Na Família Rotária desde 2004, Samuel iniciou sua jornada no Interact Club de Venâncio Aires/RS – Distrito 4680 onde permaneceu até o ano de 2007, ocupando os cargos de Tesoureiro e Presidente.

Ingressou no Rotaract Club de Venâncio Aires em 2007 onde assumiu os cargos de Tesoureiro, Secretário, Diretor de Imagem Pública e Presidente. Na Representação Distrital do Distrito 4680, assumiu os cargos de vice-RDR, Diretor de Projetos e em 2015-16, o de Representante Distrital de Rotaract.

Na Rotaract Brasil, assumiu os cargos de gerente de Criatividade e Design na gestão 2014-15, Gerente do Concurso Nacional de Projetos em 2016-17 e em 2017-18, foi o vice-presidente da organização e Diretor do Projeto Multidistrital. No Ano Rotário 2018-19, é o Presidente da MDIO Rotaract Brasil.

Confira nossa entrevista com o Samuel, sua expectativa e os principais desafios para este ano rotário.

– Estar presidente da Rotaract Brasil, sempre foi um objetivo?

Não, na verdade eu jamais imaginei que um dia eu pudesse estar como presidente de uma organização tão importante como a MDIO Rotaract Brasil. Mas, por força do destino, algumas coisas foram acontecendo a favor. Em 2015-16 eu estava RDR do distrito 4680 e ao final do ano rotário, pude ver o resultado de um ano intenso de trabalho e as significativas melhorias no distrito. Aí pensamos em que podemos ir mais, ir além.

Até que um dia alguém me perguntou: Por que você não se candidata a Presidente da Rotaract Brasil? A primeira resposta foi: “Não, jamais. É um grande desafio”. Por outro lado, os desafios são feitos para serem superados. Mas no dia seguinte aquela pergunta visitava frequentemente o meu pensamento e eu rebatia o questionamento: “Mas por que não?”

Como as minhas possibilidades para candidatar-me estavam se esgotando e pela renúncia de um presidente eleito, duas janelas foram abertas (2017-18 e 2018-19). A minha vontade era de contribuir muito mais pelo programa em nosso país. A oportunidade era única. O Murilo se candidatou para 17-18 e então, por uma obra do destino, minha única possibilidade seria 2018-19, que inclusive será minha última gestão em Rotaract. Depois de conversar com mais de 20 pessoas, tendo aprovação do distrito, levei meu nome ao pleito para presidente 18-19 e tive uma grata satisfação em ser eleito para o ano rotário. Será uma responsabilidade grande e um orgulho enorme representar os mais de 7.800 rotaractianos do Brasil para esse ano.

– Qual a importância da MDIO Brasil para o desenvolvimento da liderança dos rotaractianos?

A MDIO tem a missão de unir distritos e gerar informações em prol do desenvolvimento do programa no Brasil. Enquanto isso, promove o engajamento dos rotaractianos em seus mais variados projetos e campanhas, fazendo com que entrem em ação em prol de suas comunidades e impactando as suas vidas.

A nossa missão nada mais é que transformar o programa no Brasil com base na liderança de cada associado, onde a liderança poderá se desenvolver na prática.

– Qual a expectativa o ano Rotário?

Seria clichê, mas a maior expectativa é de um ano inspirador, onde cada rotaractiano poderá colocar os seus dons a favor do nosso programa. Diante disso, trabalhando como verdadeiros agentes de transformação da nossa sociedade. A Rotaract Brasil foi criada justamente para unir os 38 distritos do Brasil e gerar um impacto positivo ainda maior do nosso programa. E essa união será ainda mais fortalecida para o novo ano rotário. Não apenas a união dos rotaractianos, mas junto a isso com Interactianos e Rotarianos, trabalhando lado a lado com a Interact Brasil e o Rotary International Brazil Office, unindo forças pelo propósito em comum.

E com essa inspiração, vem muitos sonhos com o novo ano rotário: o fortalecimento do Concurso Nacional de Projetos Distritais, a ampliação da linha de atuação da diretoria de treinamentos trabalhando em várias frentes, um portal novo para gerar informações úteis e eficazes aos Rotaractianos do Brasil, o Projeto Multidistrital atuando em diversos temas e mostrando as nossas formas de mudar o mundo, seja o nosso ou da sociedade. Além disso, é nosso compromisso trabalhar pela Fundação Rotária e isso será feito ao longo da gestão, auxiliando assim nessa grande iniciativa realizada pelo Rotary International. Ampliar as nossas parcerias com diversas frentes de atuação, promovendo assim novas oportunidades aos rotaractianos, melhoria dos trabalhos dos clubes também são metas.

– Qual é sua inspiração?

A minha maior inspiração é quando vejo a felicidade, motivação e engajamento estampado no trabalho dos Rotaractianos. Engajamento quando vejo interação e conexão com os projetos desenvolvidos, a motivação com o impulso das pessoas buscarem os seus desejos e alcançarem seus objetivos e a felicidade, precisa estar acompanhada de todos os momentos.

– Sobre o nosso lema, como o Rotaract pode ajudar para um mundo melhor?

O Rotaract tem um papel de grande importância na transformação e mudança positiva na vida das pessoas. Os Rotaractianos quando estão servindo, podem mudar realidades e transformar vidas. Aliás, os jovens buscam constantemente um mundo melhor para que possamos viver com mais qualidade e igualitário.

Foi assim que Um Mundo Melhor através do Rotaract” surgiu. Diariamente, somos convidados a impactar nossas comunidades através dos projetos. Estes, por sua vez, são a base do trabalho inspirador realizado pelos Rotaractianos. A fim de que o mundo possa ser melhor, devemos buscar mudanças positivas para que nossos associados, clubes e distritos sintam-se motivados a mudar o mundo constantemente, seja o meu ou de quem nos rodeia.

– Qual o legado que pretende deixar?

O meu maior legado será ver que a gestão 2018-19 pode fazer a diferença na vida de cada rotaractiano e isso ter reflexo na nossa comunidade, que é um dos pilares do nosso trabalho. Fortalecer a liderança de cada associado e buscar aspectos de melhoria que fazem com que isso se torne o maior legado. Se o nosso trabalho inspirar os Rotaractianos a irem em frente e conquistarem sempre mais, essa será a nossa maior recompensa.

 

Por Thiago Tertuliano

Comentários no Facebook