Do Casulo às Asas

Para ser verdadeira, a transformação tem que começar por dentro. E isso não é questão de egoísmo e muito menos autocentramento, pelo contrário. Essa transformação nos demanda muito mais energia, porque é mais profunda e porque é muito difícil sair da tal zona de conforto… Mas será mesmo?

Entre os dias 16 e 19 de janeiro de 2019, mais de 500 jovens não só saíram das suas zonas de conforto, como saíram de suas cidades e de seus Estados com um só destino: Cuiabá, Mato Grosso. Nos encontramos na 45º Conferência Nacional de Rotaract Club (CONARC)! A organização do evento nos prometeu que essa seria a Conarc da Transformação, mas jamais poderíamos imaginar que essa transformação seria tão intensa.

A Conarc começou com o pé direito, nos emocionando com uma cerimônia de abertura que soube focar na essência do Rotaract, trazendo parte de cada Distrito do Brasil e de cada companheiro lá presente. Romário Jales, Presidente do evento, numa completa entrega ao momento, nos presentou com a sua interpretação da música “Balada do Louco” e cantou: Dizem que sou louco por pensar assim […] Mas louco é quem me diz e não é feliz […]”. Romário fazia referência à visão que muitos têm de nós, rotaractianos, por termos dentro de nós essa chama da transformação tão forte. Somos vistos como loucos por quereremos mudar o mundo. Somos vistos como loucos por sabermos que faremos isso, seja através de eventos, seja através de projetos, mas sempre através do Rotaract. E o melhor de tudo: somos felizes fazendo isso! Choramos, rimos e sem sombra de dúvidas compartilhamos o mesmo pensamento: “Que bom que eu estou aqui, já valeu a pena”. Numa analogia à vida de uma borboleta, estávamos recém formando nossos casulos para iniciar a jornada.

No segundo dia de evento, evoluímos mais um pouco. Compartilhamos e agregamos conhecimento por meio dos tão aguardados Grupos de Discussão e Workshops Temáticos que abordaram assuntos diversos, envolvendo os participantes numa dinâmica colaborativa em que todos puderam construir os momentos. Foi lindo!

Ainda no dia 17, fomos presenteados com uma palestra inspiradora do Patrick Nunes, Diretor Global de Comunicações e Design do Rotary International, que compartilhou um pouco da sua história e do seu trabalho no RI e falou para nós sobre a importância de fazermos exatamente isso: contarmos histórias que inspirem!

E nada mais inspirador do que viver a felicidade de forma compartilhada. Por isso, toda noite, celebramos o companheirismo, a amizade e esse privilégio de ser rotaractiano com uma festa diferente, num local diferente. Da Orla do Porto de Cuiabá até a Arena Pantanal, tivemos vários palcos e cenários, mas o elenco era sempre o mesmo: rotaractianos prestes a saírem de seus casulos.

A transformação de cada um já era visível e ela iniciara antes mesmo do evento começar. Na sexta-feira, penúltimo dia de evento, o Presidente da Rotaract Brasil, Samuel Neivel, nos mostrou um pouco do trabalho que a MDIO já realizou ao longo dos últimos seis meses e do que ainda está por vir. Em sua fala, enfatizou diversas vezes o quanto o Brasil todo merece um trabalho feito com qualidade, dedicação e amor, demonstrando de que forma isso está sendo feito não apenas por ele, mas toda sua equipe. Samuel distribuiu méritos e deixou muito claro que podemos e vamos ir além.

Além da palestra da Rotaract Brasil, tivemos o Rotaract Talks na sexta-feira. Diversos palestrantes compartilharam conosco suas histórias num formato simples, descontraído, sem muitas formalidades, mas com muito conteúdo.

Chegamos ao último dia do evento. O sábado exigiu de todos nós um coração de ferro. Especialmente dos finalistas do Concurso Nacional de Oratória (CNO) e Concurso Nacional de Projetos (CNP).

Os projetos mais incríveis do Brasil foram apresentados para uma plateia atenta a cada detalhe. Concentrados, anotávamos informações, tirávamos fotos das apresentações e já imaginávamos o momento em que contaríamos para os nossos companheiros sobre determinado projeto.  Não foram poucos os projetos que nos deixaram de queixo caído ou nos levaram às lágrimas. Sentimos mais orgulho ainda por sermos rotaractianos ao perceber o quão profissional, transformador, sensível e inspirador é o nosso trabalho. Ficou muito claro que o concurso, que a competição em si, ficou num segundo plano. O foco era compartilhar!

Como disse o companheiro Vagner, presidente do Rotaract Club de Sinop São Cristóvão, que foi o grande vencedor na categoria geral do Concurso Nacional de Projetos, com o lindo “Sonho de Princesa”, a palavra que resume o momento é Gratidão. “Foi o primeiro sentimento que senti naquele momento. Ficamos honrados demais de poder levar essa felicidade para todos. O lema deste ano rotário do Rotaract Club de Sinop Cristóvão é ‘Leve a Felicidade’ e foi isso que fizemos. Levamos felicidade para aqueles que mais amamos, e o que retiramos de tudo isso, foi que sonhar é possível! Que devemos sonhar, mas sonhar grande Jorge Paulo Lemann nos diz: ‘Sonhar grande e sonhar pequeno dá o mesmo trabalho’, então o que deixamos para todos vocês é sonhe grande e acredite no potencial de vocês. ”

Durante o evento todo, pudemos perceber quebras de paradigmas como essa. Não queremos mais competir por competir, queremos compartilhar e fortalecer uns aos outros. E isso ficou mais claro ainda durante a fase final do Concurso Nacional de Oratória (CNO). Olavo Bianchi, do Distrito 4540, vencedor do CNO, em seu discurso final fez referência e valorizou a trajetória das demais companheiras finalistas. Como objetivo, tinha o mais puro de todos. “Esse ano, eu tinha que cumprir uma promessa que fiz para mim mesmo, tinha que inspirar as pessoas a fazerem o bem, e espalharem alegria pelo mundo! ”. Olavo não só espalhou alegria, como nos emocionou profundamente com um discurso que tocou os nossos corações. Ao final dele, todos de pé vibraram pelo companheiro. Vibramos pela sua coragem de contar a sua história e do seu irmão que, na luta pela saúde, compartilharam momentos de alegria graças ao trabalho de loucos como nós, rotaractianos, que sabem que um sorriso pode mudar o mundo. Infelizmente o irmão do Olavo não viveu para vê-lo em cima daquele palco, mas acreditamos que pudemos representá-lo um pouco que seja através do carinho que dedicamos ao nosso campeão!

E, assim, a 45ª Conarc chega ao fim. Respiramos fundo e, sem medo, abrimos as nossas asas para voar de volta rumo aos nossos distritos e clubes. As malas voltaram mais pesadas com as lembranças físicas que conquistamos ao longo do evento. Já os corações voltaram mais leves, com a certeza de que vivemos uma das melhores experiências das nossas vidas.

Nas palavras do companheiro Samuel Neivel, “O resultado da Conarc superou as expectativas tanto na execução da programação quanto na participação dos presentes”. Ele complementa sua fala ao referir: “Nos desafiamos a entregar atividades que realmente pudessem impactar na vida de cada rotaractiano e que os transformassem enquanto indivíduos. E assim foi. Avançamos muito principalmente com a presença do Patrick Nunes, vindo diretamente da sede mundial do RI em Evanston e com a presença da Larissa Gonçalves, coordenadora de Fundação Rotária do RIBO. O contato dos rotaractianos com eles, fez toda a diferença nas trocas de ideias e novos conhecimentos. Saímos da Conarc transformados. ”

Obrigada, Conarc! Obrigada por ir além do imaginável, por nos mostrar que a transformação começa por nós mesmos e que ela é mais prazerosa quando compartilhada!

Em 2020, Ouro Preto/MG nos espera para uma nova conexão. Já estamos ansiosos para isso!

 

Conteúdo Produzido por Gabriela Lamb | Redatora da Rotaract Brasil

Comentários no Facebook