Entrevista: No Mundo de Luma

Luma Karling é a presidente da Rotaract Brasil do ano rotário 2019-20. Esse é um cargo de grande responsabilidade, mas que sabemos que está em excelentes mãos. 

Sabemos que um dos principais pilares do Rotaract é o desenvolvimento profissional. E claro que com a Lumãe, ops, Luma, não seria diferente. 

Abaixo você vai conhecer um pouco mais sobre ela. Vai entrar um pouco no Mundo de Luma, que quem conhece, ama. Quem não conhece, precisa conhecer já!

 

  • Olá! Conte para nós seu nome, idade e um pouco sobre você (curriculum profissional e dentro do rotaract).

Meu nome é Luma Karling Moreschi, tenho 27 anos (faço 28 em Julho).

De certa forma, considero que minha Carreira Profissional tem relação com a Família Rotária. Meu primeiro cargo foi o de secretária, onde descobri minha paixão pela escrita. Além disso, com os treinamentos de cargo que tive a oportunidade de ministrar, acabei descobrindo também como era estar na posição de compartilhar conhecimentos. Dessa forma, fui parar no curso de Letras – Português/Inglês. Hoje sou formada e atuo com a Língua Inglesa, principalmente na Educação Infantil.

Sobre Família Rotária, ingressei no Interact, sendo oficialmente empossada no ano de 2016. De lá pra cá fui passando pelos mais diversos cargos e me apaixonando cada vez mais pelos programas.

 

  • Qual foi sua trajetória no Rotaract até chegar aqui? 

Minha trajetória começou muito antes, já no Interact. Apesar de ter um pai rotariano e um irmão no Interact, foi por meio de amigos do colégio que recebi o convite e comecei a participar. Depois de idas e vindas durante um ano, fui empossada. Depois de um ano como associada nada exemplar, recebi meu primeiro cargo, de secretária, e me engajei de fato no programa. Devido aos cargos distritais no Interact, como de RDI, comecei a frequentar eventos de Rotaract já antes de fazer a transição, tornando o processo mais natural e menos doloroso do que muitos interactianos imaginam. hehehe

Um pouco depois, fui bolsista do Rotary pelo programa Georgia Rotary Student Program, o que ampliou bastante meu conhecimento e minha visão de Rotary ao estar em contato com uma diferente realidade rotária. Depois disso, tive oportunidade de assumir cargos no clube, no distrito, passando pela Representação Distrital, e também na Rotaract Brasil. Acredito que nada nos prepara melhor do que viver Rotaract em diferentes níveis.

 

  • Você sempre sonhou em estar presidente da Rotaract Brasil?

Não exatamente, a história é um pouco longa! hehehe

Acho que tudo começou quando eu era RDI, e fui em uma COMIC, Lá aconteceria a eleição do presidente da então DIIC/OMIIC Brasil, hoje Interact Brasil. O candidato único foi vetado, e por questão de idade exigida no ato da eleição (mais especificamente, três dias após meu aniversário) não pude me candidatar, apesar de incentivos ali na hora. Depois disso, o então eleito presidente me chamou para ser secretária da MDIO do Interact, mas por questão de idade e pela luta que estavam em conseguir aprovação do Rotary na época, como já passava dos 18, resolvi que era melhor deixar de lado o sonho de contribuir à nível nacional. Esse sonho se reativou no Rotaract por meio de oportunidades de participar da equipe, as quais me deixaram com gostinho de “Quero e posso fazer mais”, me levando então à busca pela presidência. 

 

  • Cite uma pessoa que te inspira lá fora, na vida, na sua profissão ou no Rotaract em geral.  

Acredito bastante naquela ideia de que todos que passam por nós deixam um pouco de si e levam um pouco de nós, e o que sou hoje é resultado de uma soma de inúmeras pessoas maravilhosas e inspiradoras que conheci em minha trajetória. Mas sem sombra, minha maior inspiração e admiração sempre foi meu pai. Ele sempre soube conciliar trabalho em Rotary e em outras frentes, carreira de médico, carreira de docente, o papel de marido e pai, e por aí vai. Ele partiu desse mundo em Dezembro de 2017, cerca de um mês antes de eu ser eleita. Durante seu velório, descobrimos as mais belas e inúmeras histórias de pessoas que ele havia ajudado ou impactado de alguma forma, e nós nem sequer imaginávamos. Ele é minha inspiração pois foi alguém que fez toda a diferença que pode por onde passou, e esse é um dos meus sonhos com a presidência: ser a diferença por meio de ideias minhas e de pessoas inspiradoras ao meu redor.

 

  • Dizem que nós somos aquilo que lemos, assistimos, ouvimos, enfim, vivemos. Sendo assim, o que você indica de um livro, filme, série e/ou música? 

Na falta de um, indico dois diferentes filmes: “Patch Adams, o amor é contagioso” e “Escritores da Liberdade”. De certa forma, são dois filmes que mostram como a dedicação e o amor depositados naquilo que fazemos, mesmo diante de advsersidades, faz a diferença.

 

  • Escolha um elemento que te inspira na vida: fogo, água, ar ou terra?

Sempre gostei muito de água. Já saí frustrada de um evento de descontração que passei maior parte do tempo na piscina e não levei o prêmio de Acqua Girl do evento! hehehe

Acredito que ele seja um elemento flexível. Se aquecido, pode ajudar a aquecer. Se congelado, pode ajudar a resfriar/refrescar. Me inspira a ter a flexibilidade de ser/oferecer aquilo que pessoas ao nosso redor precisam.

 

  • Cite um aplicativo que te ajuda muito no dia a dia? E qual gostaria de inventar, se tivesse oportunidade? 

Gosto bastante do Google Keep. Sempre gostei de fazer listas. Listas do que levar na mala para uma viagem ou evento, listas de afazeres e por aí vai. Apesar de ainda gostar da caneta no papel, um aplicativo que me permite criar e controlar listas ajuda bastante na rotina combinada de compromissos pessoais, profissionais e rotários.

 

  • Quais os desafios e alegrias dentro do programa e família rotária? E quais são suas expectativas pro novo ano rotário?

Minha maior alegria sempre foi o fato de poder me sentir útil. Minha busca por cargos foi sempre essa: ter alguma utilidade para as pessoas ao meu redor. Seja com informações, com contatos ou até mesmo com apoio emocional quando a coisa aperta.

Já quanto ao desafio, acredito que a história que carregamos pesa bastante, tanto para o lado positivo quanto para o negativo. Saber diferenciar e usar esse peso em prol de nossas ações pode ser bastante desafiador.

Minha expectativa é de poder ser voz e dar voz a grandes ideias e projetos. É de fazer com que rotaractianos sejam cada vez mais atingidos pelas ações maravilhosas que nossa MDIO faz e que muitas vezes, pelos mais diversos motivos, acaba por não atingir quem realmente é nosso público-alvo.

 

  • Levando em conta o lema do ano 2019-20, como você que podemos conectar o mundo?

Podemos conectar o mundo das mais diversas formas. Nos conectamos ao mundo quando curtimos a foto de um projeto de outro clube nas redes sociais. Nos conectamos ao mundo ao participar de eventos, e ao vermos que o programa vai muito além de nossos próprios clubes e distritos. Nos conectamos a um mundo de possibilidades profissionais ao desenvolvermos habilidades. Nos conectamos ao mundo ao fazer a diferença na vida de uma pessoa ou de uma comunidade como um todo.

Acredito que a melhor forma seria tentar entender qual o nosso propósito, seja individual ou coletivo, dentro do programa, e aí sim poderemos nos conectar efetivamente ao mundo que escolhemos dentre as possibilidades que o programa nos oferece.

 

  • Como gostaria de ser lembrada e dê um conselho pra todos nós

Os RDRs do Ano Rotário 2019/2020 me apelidaram de Lumãe. Vejo o conceito de mãe como uma pessoa carinhosa, que ao mesmo tempo atende nossas necessidades e nos guia para os melhores caminhos, seja quando estamos perdidos ou quando estamos errando. E que além disso, conta com as pessoas ao seu redor, uma família, para oferecer seu melhor. Gostaria de ser lembrada assim: como alguém que entende e luta pelas necessidades dos rotaractianos, e alguém que não faz isso sozinha, e sim como apoio de uma equipe mais do que competente.

Quanto ao conselho que gostaria de deixar, acredito que se resume em uma palavra: “ENVOLVIMENTO”. Se nos envolvemos com aquilo que nossos clubes, nossos distritos e nossa MDIO nos oferecem, temos muito a crescer e a desenvolver, aproveitando as oportunidades e os mais diversos mundos dentro de nosso mundo rotário.

Se sentindo inspirado com as palavras da Luma? Amamos ver sua trajetória e inspirações.

É incrível ver o que move os rotaractianos: amor e dedicação ao programa. 

Rotaract pode fazer uma grande mudança em nossas vidas. Nos traz pessoas inspiradoras e momentos inesquecíveis. Vamos usar o lema desse Ano Rotário como nosso. Vamos nos conectar e transmitir cada dia mais a mensagem de amor e empatia do Rotaract! 

 

Entrevista realizada pela Rafaela Ricco – Produtora de Conteúdo da Equipe de IP da Rotaract Brasil.

Comentários no Facebook